[ editar artigo]

Conceitos sobre Inovação

Conceitos sobre Inovação

Inovação é um tema muito abordado nos ambientes corporativo, social, político, tecnológico e em tantas outras esferas da sociedade. Pensar empreendedorismo sem inovação, é como começar uma partida de futebol perdendo de 30 a 0 com cinco jogadores a menos, e acreditar que ainda assim é possível reverter a derrota. Esta comparação nos mostra que empreendedorismo e inovação caminham de mãos dadas, mas apesar de serem expressões distintas, são complementares entre si.

Quando olhamos a nossa volta, percebemos um grande avanço tecnológico presente em nosso dia-a-dia, seja na comunicação, no transporte, na mobilidade urbana, na indústria alimentícia, na indústria farmacêutica, na padaria da esquina, enfim, tudo o que está ao nosso alcance é resultado de alguma ação inovadora. Mas na prática, o que exatamente significa o termo inovação?

Cuidado com gente que não tem dúvida. Gente que não tem dúvida não é capaz de inovar, de reinventar, não é capaz de fazer de outro modo. Gente que não tem dúvida só é capaz de repetir. - Mário Sérgio Cortella

Etimologicamente, a palavra procede do latim innovare, sendo formada pela junção das expressões in (em) + novus (novo, recente). Desta forma, inovação significa o ator de inovar, de introduzir novidades em, incorporar algo novo. Porém, inovar é mais do criar algo novo, é a combinação de uma série de recursos aplicados para gerar um novo produto ou serviço. É o que Schumpeter chama de uma ação de reforma ou revolução de um padrão produtivo, ou seja, o processo de exploração de uma invenção com objetivo principal de se promover um novo produto ou serviço. Mas na prática, o que se espera da inovação? Você se considera alguém que pensa inovação? Seu negócio tem características inovadoras?

 

UMA BREVE SÍNTESE DE INOVAÇÃO NA HISTÓRIA

Desde os primórdios da história, o homem tem promovido desenvolvimento tecnológico. Porém, a medida em que este homem realiza descobertas, e as implementa com o objetivo de criar produtos e serviços para melhorar aspectos do seu próprio bem-estar, mais ele se torna fragmentando em suas relações interpessoais. E mais agravante ainda, é que suas inovações tecnológicas desencadeiam, na maioria das vezes, impactos ambientais que, em alguns casos, são irreversíveis.

Se olhássemos isoladamente para o termo inovação dentro desta perspectiva, poderíamos dizer que inovação é algo ruim e danoso. Mas isto não é uma verdade, pois a inovação é parte da natureza criada, está presente em tudo, em todo tempo. Pesquisas científicas comprovam que o universo continua se expandindo dentro de um fluxo contínuo de inovação. Identificamos que durante toda a história o homem produziu produtos e serviços inovadores, alguns até revolucionários, que marcaram a história da humanidade. O que dizer da lâmpada de Thomas Edison ou da pilha voltaica de Alessandro Volta?

Estes produtos trouxeram uma nova dinâmica para o cotidiano do homem, mas se tornaram um sério problema de ordem ambiental. Estes homens criaram uma invenção que no decorrer dos anos foi sofrendo processos de inovação: a pilha voltaica deu origem a outros produtos, como a bateria automotiva, a bateria de lítio e tantas outras enquanto que, a lâmpada de Thomas Edison evolui, dando origem as atuais lâmpadas de Led.

Estes inventores descobriram um princípio de funcionamento e a partir da descoberta científica deste princípio, criaram um produto protótipo, elementar e em alguns casos até mesmo arcaico, mas que no decorrer da história, foram sendo aperfeiçoados. Por meio da ampliação dos conceitos iniciais e descoberta de novos modus operandi, novas demandas de mercado foram surgindo e novos valores foram agregados ao produto concebido originalmente.

 

A INOVAÇÃO COMO UM FLUXO DE VIDA

Qual a principal diferença entre a inovação tecnológica promovida pelo homem e a inovação que ocorre no universo? Porque a expansão do universo não causa desequilíbrio, enquanto que a expansão tecnológica do homem ocasiona, em muitos casos, um impacto ambiental devastador?

O rabino Wayse Dosick traz uma reflexão muito franca sobre o mundo dos negócios e o universo, que nos leva a refletir sobre qual deve ser verdadeiramente o foco de nossa atuação empreendedora:

Conveniência, oportunidade, lucros maiores, tudo isso perde importância quando você percebe que o que está em jogo é o ar que você e seus filhos respiram, a água que vocês bebem e a proteção que têm contra os raios ultravioleta do sol. O que está em jogo não é apenas a qualidade de vida, mas a própria vida. Assim quando você e sua empresa decidem tomar providências positivas para ajudar a curar e salvar o universo, na realidade estão salvando a si mesmos. (Dosick, 1947)

Talvez esta seja o ponto essencial da compreensão entre o universo e o homem. O universo se expande de maneira integral e integrada. Este equilíbrio é resultante de leis que o sustentam, e tudo o que está conformado as estas leis, está inserido dentro de um fluxo contínuo de inovação e expansão. Isto nada mais é do que o próprio fluxo de vida presente em tudo o que faz parte deste ecossistema chamado universo. Este fluxo de vida, constituído por uma sustância essencial presente em tudo o que há no universo é chamada de natureza relacional. Cada componente do universo possui sua característica peculiar, particular e autônoma, mas não independente, pois tudo está conectado e interrelacionado.

Tudo o que se movimenta e se organiza a partir desta “substância essencial” é sustentado por esta lei que mantém todo o ecossistema em equilíbrio e em perfeito funcionamento. Mas qualquer coisa que, de alguma forma, tenta “viver de forma independente e não relacional”, não possui sustentabilidade, se tornando então, um agente causador de desequilíbrio no próprio ecossistema.

 

QUAL O FUNDAMENTO DA INOVAÇÃO?

Esta natureza relacional constitui o ser do homem, é uma parte dele. Porém, a medida que este homem decide viver de forma independente, se degrada eticamente e corrompe sua natureza original de um ser relacional, tornando-se então, um ser egocêntrico. Enquanto o universo inova e se expande em benefício do todo, o homem inova em benefício de si mesmo. 

Ignora o fato de ser apenas uma parte do ecossistema, e age de forma irresponsável, mesmo sabendo que ele é o principal responsável por manter tudo em pleno funcionamento, preservando e administrando os recursos deste ecossistema. O homem então, ao invés de se tornar um administrador que mantém este fluxo continuo de inovação e expansão, protegendo e promovendo a vida, se torna um agente usurpador das riquezas que lhe estão disponíveis no universo, comprometendo desta forma, sua própria vida.

Logo, toda inovação tecnológica desenvolvida a partir deste homem egocêntrico, é danosa e ilegal. Por isso, acreditamos que é necessário que haja uma nova concepção sobre inovação. Se faz urgente a necessidade do homem se renovar, voltando a empreender a partir de sua natureza original de um ser relacional. Que este homem administre recursos a partir desta substância essencial que está presente em tudo o que constitui o universo. É necessário que, como empreendedores, estejamos dispostos a nos conformarmos a esta lei universal, atemporal e que transcende o nosso próprio ambiente geográfico, para que de fato, sejamos homens inovadores que constroem empresas inovadoras.

 

POR ONDE COMEÇAMOS?

O primeiro passo, é o resgate da etimologia da palavra inovação: o ato de incorporar algo novo. E qual seria a grande incorporação que podemos realizar para que nosso negócio seja de fato inovador e que possamos, de alguma forma, contribuir com a sanidade de um ecossistema quase em colapso?

Acreditamos que a principal maneira é reposicionarmos nossa plataforma empreendedora sobre uma nova base fundamental. É preciso adequar nossa vida, nossas famílias e nossos negócios a esta legislação fundamental da natureza relacional. Se todo o universo está assentado sobre ela não seria lógico que também estejamos adequados a ela?

Se encontrarmos uma maneira pratica de mudarmos as bases de nosso negócio, descobriremos uma nova dinâmica de operação e de gestão produtiva e administrativa. Descobriremos o segredo que faz do universo um ecossistema equilibrado e expansivo. Deixaremos de ser usurpadores das riquezas do universo, e nos tornaremos pessoas que promovem a ampliação destas riquezas, por meio da agregação de novos valores há tudo o que nele existe.

Nenhuma ideia de algo realmente novo parte de uma proposta realista, séria, calculada e trabalhada. Sempre surge como uma relação, uma imaginação, uma busca. Certamente, nove entre dez dessas ideias brilhantes acabam não passando de epigramas. Da pequena proporção restante, a grande maioria também não chega a lugar algum. A mortalidade das “ideias brilhantes” é tão grande quanto a ovos das rãs; as ideias são uma parte da natureza – e a natureza é pródiga. Por isso nunca existe então uma escassez de ideias, tal como não existe falta de ovos de rãs no lago. É preciso que se tenha mil para produzir um resultado final viável. Não se sabe com antecedência qual das mil sobreviverá e atingirá a maturidade. (Drucker, 1968)

Sempre devemos ter a consciência que todo processo de inovação seja institucional, conceitual ou de produtos e/ou serviços passa por um processo de desenvolvimento e maturação. Esse é um princípio fundamental, pois nada nasce pronto, mas tudo se desenvolve progressivamente!

  • Quais foram as reais motivações que levaram você a empreender o seu negócio?
  • Em que você acredita que sua empresa hoje contribui com o desenvolvimento desta essência relacional na comunidade onde sua empresa está inserida

 

PROPOSTA PRÁTICA

Elabore um mapa de riscos, tendo como ponto de partida a próxima geração, do modelo atual da operação da sua empresa. Que ações inovadoras você pode implementar visando reduzir significativamente o impacto da sua operação no futuro da próxima geração.

Qual será o impacto financeiro previsto? Qual o volume de faturamento que você precisa elevar para viabilizar a implantação destas ações? Você pode realocar investimentos de outras áreas?

Comunicar aos seus clientes o valor que você está agregando aos seus produtos é uma chave importante para fidelização a sua marca. Que ações você pode realizar neste sentido?

Nada nasce pronto, mas tudo se desenvolve progressivamente!


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Dosick, W. (1947). A Bíblia dos Negócios. (N. Montingelli, Trad.) São Paulo, SP, Brasil: Rai Editora.

Drucker, P. F. (1968). Uma Era de Descontinuidade: orientação para uma sociedade em mudança. (J. R. Azevedo, Trad.) São Paulo, SP, Brasil: Círculo do Livro.

Schumpeter, J. A. (1961). Capitalismo, Socialismo e Democracia. (R. Jungmann, Trad.) Rio de Janeiro, RJ, Brasil: Editora Fundo de Cultura.

Tecnologia

MOB Collab
Marcelo Souza
Marcelo Souza Seguir

Natural de Curitiba, é casado com Zélia e pai da Júlia. Pastor na Missão Mobilização, Founder da Illumine, Presidente da Acridas, mentor e conselheiro de empresários e líderes nas áreas corporativa, pública e eclesiástica.

Ler conteúdo completo
Indicados para você