[ editar artigo]

O que é Teologia e por que estudá-la?

O que é Teologia e por que estudá-la?

A Teologia, no aspecto científico, é o estudo que se ocupa de Deus, de sua natureza, atributos e de suas relações com o homem e com o universo. No âmbito religioso, é o conjunto de princípios, doutrina, uma maneira de tratar as questões religiosas. Mas, para o cristão, tais definições gerais são suficientes? Acredito que podemos ir mais a fundo.

 

O assunto será dividido em partes, para que seja preservada a proposta do Neófito Confesso, de oferecer ao leitor uma breve reflexão, que possa ser lida e assimilada na correria do cotidiano. Neste post, falarei sobre o porquê de estudar Teologia e sobre os meios principais da revelação de Deus ao homem.

 

Por que estudar Teologia?

Existem, ao menos, quatro motivos básicos para estudar Teologia. O primeiro diz respeito ao cumprimento da Grande Comissão. O célebre “Ide” de Mateus 28 implica em ensinar todas as coisas que Jesus ensinou, e não há como ensinar algo que não tenhamos aprendido de fato. O segundo motivo diz respeito à integridade do que foi ensinado por Jesus, pois a Teologia nos ajuda a corrigir as ideias equivocadas elaboradas pelo enganoso coração que possuímos (Jeremias 17.9). Definitivamente, as nossas cogitações não possuem autoridade alguma quanto à sã doutrina.

 

Os terceiro e quarto motivos se tratam da contribuição do estudo da Teologia ao desenvolvimento da nossa espiritualidade e na tomada de decisões acertadas diante de eventuais questões doutrinárias que surjam no futuro. No meu último post, me referi à espiritualidade, com outras palavras, como uma sólida integração entre a prática correta e corretas afeições, orientadas pela doutrina correta. Quebre esta última engrenagem, e a relação entre as outras duas perderá total sentido e sincronia. E dessa forma, faltará consistência doutrinária diante de heresias que eventualmente nos assediem, e exponham a verdadeira espiritualidade ao risco de impureza.

 

Esses são motivos suficientes para romper de vez com o desprezo ou indiferença ao estudo teológico. No contexto cristão, há aqueles que desprezam a Teologia, por reduzi-la ao âmbito acadêmico. É preciso dizer que não há problema algum com a abordagem acadêmica. Mas, usando de caridade com esses irmãos, digamos que tal desprezo seja apenas aversão e dificuldade com a terminologia e com o vocabulário. Tudo bem, apesar da imensa importância e contribuição da teologia acadêmica, não é a única abordagem a ser feita e também não é uma vocação para todos. No entanto, quero apresentar o cerne da Teologia, o porquê de ela existir e para quê ela aponta. E diante disso, nem os que desprezam, muito menos os indiferentes, têm um motivo razoável para se manter em suas posições.

 

A Teologia existe, não só porque Deus existe, mas também porque ele se revela, e o faz através de meios inteligíveis o suficiente, para que nenhum homem tenha a desculpa de não conhecê-Lo (Romanos 1.18-20). O Salmo 19 apresenta, de maneira excelente, dois dos principais meios pelos quais Deus se revela: a natureza (vv. 1-2) e a Lei de Deus (vv. 7-11). E no que diz respeito a nós, cristãos, conhecê-Lo não se limita ao fato de sabermos de Sua existência e de aceitarmos as Escrituras como a Palavra de Deus. Conhecer a Deus é um convite para uma jornada que não terá fim, o que não significa ser indefinida, pois Aquele que nos convida, mesmo sendo eterno e infinito, proveu, para nosso conhecimento, “dois livros” perfeitamente compreensíveis. O primeiro, a natureza, que nos torna indesculpáveis quanto à consciência de Sua existência. O segundo, as Escrituras, que nos orienta na leitura do primeiro livro e que é suficiente para nos revelar a vontade de Deus e sua ação na história, bem como aponta para o único meio de salvação.¹

 

Dito isso, resta acrescentar que Deus se revela de modo a comunicar com o nosso intelecto e com nossas afeições, deixando lastros incontestáveis na memória, orientando a imaginação e o raciocínio à sobriedade e clareza, de modo que, embora o estudo teológico implique, em alguns momentos, ter que lidar com questões das quais não teremos respostas satisfatórias nesta era, somos mantidos nos trilhos da verdade revelada nas Escrituras, que nos apontam, ainda que não exaustivamente, mas de forma suficiente, quem é Deus e quais os meios que ele proveu para conhecermos seus atributos, sua vontade e suas obras.

 

Teologia, portanto, dentre outras coisas, se trata de conhecer a Deus pelos meios que Ele proveu. Parte dEle a iniciativa, e cabe a nós correspondê-la. Ele nos proveu meios para conhecê-lo, e é justamente sobre esses meios que a Teologia se debruça e de onde ela pretende extrair o que se pode conhecer. Ao entender esse fato, damos o primeiro passo na jornada e compreendemos que o conhecimento teológico aponta para o Deus que se revela, não só aos acadêmicos, mas a todos quantos Ele aprouver se revelar, os quais recebem, com ações de graças, a Sua mensagem acessível.

 

Continuaremos em um próximo post. Até breve.

 

Referências:

[1]Confissão Belga (1561)

Texto-referência para o post: GRUDEM, Wayne. Teologia Sistemática ao Alcance de Todos. Rio de Janeiro: Thomas Nelson Brasil, 2019.

 


Gostou do que acabou de ler?  Compartilhe com alguém que você acredita que também vai gostar.

Siga o Neófito nas mídias sociais, para ficar por dentro das novidades, interagir com os conteúdos e fazer parte de uma comunidade de apreciadores de uma boa teologia.

Religião

MOB Collab
Neófito Confesso
Neófito Confesso Seguir

Conteúdo teológico que não passa despercebido aos olhos dos apressados. Uma teologia feita no coração, para que seja sincera; diante de Deus, para que seja verdadeira; e de joelhos, para seja um serviço. Eis a missão deste Neófito.

Ler conteúdo completo
Indicados para você