[ editar artigo]

É Tempo de Ordenar para Avançar

É Tempo de Ordenar para Avançar

As Escrituras trazem um ensino relevante sobre a importância de se ordenar bases no presente, para que se possa avançar consistentemente no futuro. Para isso, precisamos entender a essência dos princípios, que transcendem as formas com que são aplicados em contextos específicos. As formas são temporais e passíveis de inovação, porém, a essência é permanente e imutável.

A passagem de Ex 18.1-24 narra o reencontro de Jetro com Moisés. Jetro como um sacerdote midianita, tinha no politeísmo sua base de operação sacerdotal e atuação sociocultural. É importante ressaltar que o conflito sempre marcou a relação entre os midianitas e os hebreus, os quais por várias vezes, aderiram a cultura idólatra dos midianitas.

 

Uma Mesa para Todos os Povos.

Moisés relatou à Jetro a saga do Egito, onde o próprio Deus levantou um testemunho a respeito de Si Mesmo. Jetro bendisse o nome do Eterno, reconhecendo a Sua grandeza acima de todos os outros deuses, e se alegrou com Seus feitos na jornada dos filhos de Israel. Trouxe ainda uma oferta queimada e sacrifícios, e juntamente com Moisés, Arão e os demais lideres de Israel, participou de uma refeição diante do próprio Deus.

Neste cenário, encontramos os indícios para a compreensão da mesa como uma realidade espiritual. Esta realidade nos traz um testemunho geracional de abrangência global, na medida em que múltiplas etnias se assentam em torno da pessoa do próprio Deus. Neste lugar, onde Deus une povos em torno de Si Mesmo, encontramos um ambiente de santificação e celebração, onde tudo pode ser desfrutado livremente por todos, porque é um ambiente de honra a Deus e de unidade pactual (Ex 18.12).

Ao mesmo tempo, a partir de uma perspectiva integradamente interativa, este ambiente passa a modelar todas as esferas da vida. Neste movimento, acessamos um nível de sabedoria que ordena os ambientes, e nos prepara para respondermos de maneira adequada, às ações intencionais do Senhor em cada estação da vida.

 

O Ambiente Pactual define as Diretrizes para o Ordenamento dos Aspectos Práticos da Vida.

No dia seguinte,  Moisés se assentou em um lugar amplo e milhares de pessoas se aproximaram de mãos vazias, cheios de si, com seus argumentos e em contenda com o próximo. Não se apresentavam como um só homem, já vinham divididos por causa do seu senso de justiça pessoal. Não vinham celebrar ao Eterno e nem santificar uma mesa coletiva, pois vinham em busca das soluções para suas demandas (Ex 18.13-16).

Moisés, mesmo sentado com milhares de pessoas à sua volta, estava sozinho. Este ambiente de muito esforço e pouca efetividade, nutria mais as mazelas do povo, do que de fato promovia uma ação terapêutica sobre elas. Infelizmente, hoje também encontramos esse mesmo cenário no contexto de muitas comunidades cristãs. Nestes ambientes, há cada vez mais pessoas descontentes e líderes frustrados, alguns até mesmo em profundos quadros depressivos, pois não conseguem promover em suas comunidades um ambiente pactual de compromisso e cuidado mútuo.

No contexto de um modelo de liderança centralizadora, tudo gira em torno de alguém que exerce uma liderança controladora, que sustenta um ambiente de dependência emocional e pouca efetividade relacional. Neste modelo de liderança focado no indivíduo e suas necessidades, não há um processo de desenvolvimento da maturidade daqueles que precisam avançar. E foi exatamente este cenário que Jetro encontrou ao ver Moisés no centro e o povo em volta o pressionando dar respostas às suas necessidades. Por isso, seu conselho estratégico é para que mediante a descentralização da liderança, se construísse uma estrutura de governabilidade que promovesse uma cultura de responsabilidade compartilhada, autoridade delegada e de representatividade nomeada.

Não se tratava apenas de uma simples organização gerencial, mas de uma aplicação prática sobre o princípio da relação pactual, onde a finalidade, não era dividir o povo em facções, mas unir o que estava dividido por causa de um coração faccioso. A intensão era promover uma cultura de liderança servidora e pastoreio diretivo, tirando-o de um lugar improdutivo de atendimento de demandas pessoais, para reposiciona-lo em um lugar formativo, onde deveria preparar as pessoas para o destino que Deus havia designado, ensinando-as a andar segundo as diretrizes da Palavra de Deus.

Neste modelo, a representatividade é um fator preponderante, por isso era necessário escolher homens competentes, tementes a Deus e incorruptíveis. Este talvez seja um outro aspecto da dificuldade de muitas comunidades de fé em nosso tempo, que no anseio do crescimento escalável, apontam neófitos, pessoas que ainda não foram experimentados na fé, na prática das boas obras e na perseverança da jornada formativa do caráter sacerdotal, para o exercício de funções pastorais ou de liderança entre o povo. Esta postura é tão danosa quanto uma liderança centralizadora, porque normalmente, está ancorada em um modelo de pastoreio baseado em suposições intelectuais, experiências pessoais e nas cogitações do coração, que dão origem à doutrinas estranhas ao Evangelho de Cristo, envenenado a mente e contaminando o coração do povo.

 

Em um Mundo de Muitas Urgências, Pensar Estrategicamente se faz Urgente

Urgente é tudo aquilo que era prioritário mas não foi tratado como tal. Focar no que é prioritário evita o acumulo de situações de urgência no futuro. Ainda que situações inesperadas aconteçam várias vezes em nossa vida, mais de 98% das situações de urgência são frutos da negligência do que era prioritário. Para seguir o conselho de Jetro, Moisés teve que parar de atender as demandas urgentes para focar na construção de uma estrutura funcional leve, dinâmica e ágil. Sua prioridade de atuação passou a ser no âmbito de governança, que envolvia instrução formativa, intercessão representativa, desenvolvimento comunitário e estabelecimento do funcionamento de todas as esferas do povo que estava se tornando uma nação.

Deveria ainda, permanecer no lugar onde ouvia e era ouvido por Deus. Ao mesmo tempo, deveria estar entre o povo comunicando as Palavras de Deus, e compreendendo de forma mais profunda a perspectiva do povo sobre o que estavam vivenciando no deserto. Moisés deveria abdicar do lugar operacional para ocupar um lugar estratégico. Por isso, precisava nomear homens que dessem conta do recado, que fossem confiáveis para que tudo funcionasse como deveria funcionar. Moisés não se tornou um líder inacessível e distante do povo, mas alguém que entre o povo, estava pensando as bases para o desenvolvimento do próprio povo.

É interessante notar que no final do seu conselho, Jetro afirma que se Moisés agisse desta maneira (Ex 18.22-24), teria uma estrutura para suportar o peso da responsabilidade de liderar o povo, e este alcançaria seu destino em paz. É importante olhar para este contexto e entender a perspectiva de Jetro como um homem pragmático. Na visão dele, esta organização gerencial proporcionaria êxito na condução do povo. Mais tarde, vemos que esta reorganização foi importante, mas ao mesmo tempo incompleta, pois Moisés ainda continuou sozinho e sobrecarregado (Nm 11), mas disto trataremos em um próximo artigo.

 

Conclusão

Acreditamos que estamos em um tempo de reorganização, de ordenar bases para um avanço corporativo. É preciso organizar as estruturas de governabilidade, estabelecer modelos de liderança descentralizada a partir de uma cultura de responsabilidade compartilhada. É tempo de nomear e designar pessoas para partilhar as cargas, otimizar tempo, aprofundar relacionamentos e estabelecer uma cultura de cuidado mútuo. É tempo de avançar de maneira organicamente ordenada, porque o Reino de Deus está em movimento. É tempo de respondermos a tudo o que nos foi ensinado até aqui, na medida em que assumimos a nossa responsabilidade dentro do que fomos vocacionados para desenvolver para Deus, em pról do Seu povo e da cidade do nosso Deus (2Sm 10.12).

Igreja

MOB Collab
Marcelo Souza
Marcelo Souza Seguir

Casado com Zélia e pai da Júlia. Pastor na Missão Mobilização, Founder da Illumine, Presidente da Acridas, mentor e conselheiro de empresários em várias regiões do Brasil.

Ler conteúdo completo
Indicados para você