[ editar artigo]

Família como Agente Empreendedora

Família como Agente Empreendedora

A família não é o evangelho, nem a família é tão importante quanto o evangelho. A família é o mecanismo de transmissão do evangelho. - Voddie Baucham Jr.

 

No relato de Gênesis, vemos Adão recebendo a incumbência de cultivar e guardar a terra (Gn 2.15). Porém, o que muitas vezes nos passa despercebido é que antes da primeira atividade específica do homem dentro do mandato cultural, Deus afirma que não era bom o homem permanecer sozinho. Por isso, decide fazer para ele uma auxiliadora que lhe seja semelhante (Gn 2.18). É interessante notar que o homem, mesmo em um lugar de prazer onde céus e terra eram uma unidade integrada, e apesar de ter recursos disponíveis e uma missão clara, não estava completo para cumprir plenamente sua missão.

Então, Deus levou Adão a realizar uma atividade que tinha um cunho didático e terapêutico, ou seja, uma proposta de ensinar sobre uma realidade e curar ou suprir uma necessidade. O objetivo era levá-lo a um lugar onde pudesse perceber a maneira de Deus agir. Por isso, o Eterno conduziu Adão em uma experiência frustrante do vazio, de se finalizar uma tarefa fora de uma relação de reciprocidade e semelhança. Adão percebeu que lhe faltava alguém semelhante, pois ele havia sido foi feito a imagem e semelhança de Deus. Então, Ele interveio, extraindo do próprio Adão uma auxiliadora idônea semelhante a ele, ou seja, alguém que o completava, para torná-lo pleno no cumprimento do mandato cultural.

 

O relato da criação registra que, de acordo com o plano, houve ordem no que foi feito (…) O relato detalhado da criação do homem (Gn 2.4-25) revela, particularmente esta ordem. Deus havia preparado um jardim (Gn 2.8) que era bem apropriado para o homem; tinha água, comida e riqueza (Gn 2.9-14). Ele fez Adão e o colocou no jardim entre as árvores e os animais; e fê-lo perceber que necessitava de uma "ajudadora apropriada" para cumprir os mandatos de cultivo, reprodução e comunhão. Deus então, formou Eva, a quem Adão recebeu com alegria. Deus, deste modo, formou a família e, então estabeleceu quais seriam suas condições para ela, depois que ela se tornou uma realidade para Adão e Eva - Gerard Van Groningen

 

Debaixo da ordem de Deus, o esposo é definido pelo trabalho para o qual é chamado, enquanto a esposa é definida pelo homem para o qual foi chamada. No desempenho dessa tarefa, uma vez que dele é a responsabilidade pela obra, ela também está sob sua responsabilidade. - Wilson Douglas

 

Vemos então, que o ponto central desta unidade indivisível do ser uma só carne, aponta para uma integridade relacional que serve de base para tudo o que Deus já realizou e irá realizar: a família como uma agente do reino para transformação cultural de cidades e nações.

 

UM EMPREENDIMENTO DO REINO É UM FRUTO DA JUSTIÇA DE DEUS

Noé se tornou um arauto da justiça em seu tempo porque achou graça aos olhos de Deus. Na medida em que andou com Deus, se tornou justo e íntegro em meio a uma geração que corrompeu seus caminhos e encheu a terra de violência (Gn 6). Sua missão inicial foi construir uma estrutura abençoadora para proteger as bases que Deus havia estabelecido no Éden: uma família e as espécies de animais sobre as quais o homem tinha a responsabilidade de sujeitar e dominar. Esta estrutura de madeira de Gopher (גפר), que em sua raiz significa abrigar, seria revestida com um tipo de betume que, em sua raiz hebraica (כפר | kaphar), significa cobrir, purificar, fazer expiação, fazer reconciliação, cobrir com betume, ou seja, uma estrutura que tipificava a obra de salvação e reconciliação de Yeshua, pois era somente através dela que a terra poderia encontrar descanso.

Noé empreendeu segundo um modelo apresentado por Deus. Aquela estrutura foi edificada para nos ensinar sobre o princípio  da justiça restaurativa. O fato de Noé ser fiel ao que Deus o instruiu a realizar, trouxe proteção a sua família, bem como, a todos os animais que estavam dentro da Arca. Este empreendimento se tornou um modelo a ser observado em nossos dias, pois na medida em que o juízo de Deus tocava a terra, aquela estrutura era um símbolo da graça de Deus, promovendo em Noé uma nova perspectiva sobre os propósitos de Deus em seu tempo. Quando as águas baixaram, ele  deixou a Arca e construiu uma nova estrutura. Se a arca estava relacionada a salvação de sua casa e dos animais que foram confiados a ele, o altar que estava sendo edificado estava relacionado a postura de um sacerdote que estava novamente dedicando a terra a Deus, resgatando o princípio da gestão sacerdotal de recursos e da justiça como fundamento de toda estrutura social.

 

ORDENAR, GUARDAR E PRATICAR: MANDAMENTOS DIVINOS PARA TRANSFORMAÇÃO DE CULTURAS

Abraão foi comissionado a estender o governo de Deus sobre a terra (Gn 12) a partir da Aliança de Deus. Aqui temos um ponto de tensão entre o empreendedorismo capitalista que define a sustentabilidade como um resultado de uma atividade produtiva próspera e a perspectiva bíblica sobre a verdadeira sustentabilidade estar relacionada a fidelidade à Aliança de Deus.

 

E disse o Senhor: Ocultarei eu a Abraão o que faço, visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e por meio dele serão benditas todas as nações da terra? Porque eu o tenho escolhido, a fim de que ele ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, para que guardem o caminho do Senhor, para praticarem retidão e justiça; a fim de que o Senhor faça vir sobre Abraão o que a respeito dele tem falado. Gn 18:17-19

 

Os três verbos ordenar, guardar e praticar trazem uma chave importante para aqueles que desejam empreender na perspectiva do reino de Deus. A palavra ordenar vem da raiz (צוה tsavah), que significa mandar, ordenar, dar as ordens, encarregar, incumbir, decretar, comissionar. Esta palavra traz a ideia de um ambiente modelo a ser estabelecido, uma estrutura funcional ordenada, sustentável, produtiva e que pudesse ser replicada para ser estendida a outras gerações. O verbo guardar vem da raiz (שמר shamar) que significa guardar, obedecer, vigiar, observar, prestar atenção, manter vigilância e custódia, manter dentro de limites estabelecidos. Guardar o caminho significa observar o curso da vida, uma maneira de se viver, entre outras palavras, desenvolver uma cultura dentro de limites estabelecidos.

Já o verbo praticar vem da raiz (עשה ‘asah) fazer, manufaturar, realizar, fabricar, agir, executar, efetuar, atender a, pôr em ordem, conter. É interessante que a ordem de praticar retidão e justiça está alinhado com a expressão (עבד ‘abad) traduzida como cultivar como uma expressão de culto a Deus (Gn 2.18; Ex 3.12). Esta afirmação está implícita na mensagem dos profetas como Isaías, (Is 1.11 ; Is 58), Jeremias (Jr 7.22-23) e Samuel (1Sm 15.22), além de ser declarada pelo próprio Cristo (Hb 10.5-10) . Além disto, Deus coloca o “ordenar uma casa” antes do cultivar e guardar para nos mostrar que o ponto central não é o que fazer em termos de negócios do reino, mas se estamos observando a ordem espiritual correta: Aliança de Deus - Ordenar uma Casa - Guardar o Caminho e Praticar Retidão e Justiça.

 

NO ANSEIO DE FAZER ALGO PARA DEUS, MUITOS ESTÃO MUDANDO OS TERMOS QUE LEGITIMAM O FAZER COM DEUS.

E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome, e tu serás uma bênção. - Gn 12.2

 

Por causa disso, me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; para que Cristo habite, pela fé, no vosso coração; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade e conhecer o amor de Cristo, que excede todo entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus. Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém! - Ef 3.14-21

 

E falou o SENHOR a Moisés, dizendo: Fala a Arão e a seus filhos, dizendo: Assim abençoareis os filhos de Israel, dizendo-lhes: O SENHOR te abençoe e te guarde; o SENHOR faça resplandecer o seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; o SENHOR sobre ti levante o seu rosto e te dê a paz. Assim, porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei. - Nm 6.22-27

 

A bênção de Deus sobre a terra se estende a partir de uma família que carrega Seu Nome, a qual se torna o meio legal pelo qual outras famílias da terra são abençoadas. Vemos Deus trabalhando na preservação de uma linhagem, uma família como uma casa sacerdotal sobre a terra. Porém, paralelamente vemos outro tipo de atuação na terra a partir do legado de Caim, o qual a partir de uma vida errante e autônoma, começou a construir cidades, tecnologias e estruturas sociais e econômicas, alterando as estruturas anteriormente designadas pelo próprio Senhor. 

No livro do Profeta Miquéias temos um apontamento de como tal situação ganhou novas proporções no decorrer da história de Israel, e como isto ainda continua ocorrendo em nossos dias:

 

Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus? A voz do Senhor clama à cidade e o que é sábio verá o teu nome. Ouvi a vara, e quem a ordenou. Ainda há na casa do ímpio, tesouros da impiedade, e medida escassa, que é detestável? Seria eu limpo com balanças falsas, e com uma bolsa de pesos enganosos? Porque os seus ricos estão cheios de violência, e os seus habitantes falam mentiras e a sua língua é enganosa na sua boca. Assim eu também te enfraquecerei, ferindo-te e assolando-te por causa dos teus pecados. Tu comerás, mas não te fartarás, e a tua humilhação estará no meio de ti; removerás os teus bens, mas não livrarás; e aquilo que livrares, eu o entregarei à espada. Tu semearás, mas não segarás; pisarás a azeitona, mas não te ungirás com azeite; e pisarás o mosto, mas não beberás vinho. Porque se observam os estatutos de Onri, e toda a obra da casa de Acabe, e andais nos conselhos deles; para que eu te faça uma desolação, e dos seus habitantes um assobio; assim trareis sobre vós o opróbrio. - Mq 6.8-16

 

Neste texto nós encontramos um jogo de expressões entre o versículo 8 e o 16 conforme abaixo:

Praticar a justiça x Estatutos de Onri: Onri foi rei em Israel durante a 6.ª Dinastia. Alcançou o trono a partir da espada, foi pai do Rei Acabe e elaborou novos estatutos e mandamentos para sustentar a manutenção do culto aos bezerros de ouro em Israel, a continuidade de um nova linhagem sacerdotal fora da casa de Arão, além de novas promulgações a respeito das festas e do culto conforme ocorreu nos dias de Jeroboão (3.ª Dinastia - 1Rs 12). A partir de Onri, uma nova lei passou a regulamentar a vida social, econômica e religiosa de Israel, parâmetros estes que eram contrários ao que Deus havia designado.

Ames a benignidade x obras da casa de Acabe: a casa de Acabe trouxe certa prosperidade econômica para Israel por meio de alianças com outras potências mundiais. Conduziu grandes obras de engenharia em Israel, mas trouxe um novo tipo de ídolo (Baal) e um novo tipo de serviço profético para a nação. Se mostrou um ditador tirano que amava somente a si mesmo, a ponto de matar Nabote para tomar a sua vinha. A palavra traduzida como benignidade é checed (חסד), que significa, nas palavras de Chistopher Walker, “amor de aliança que mostra uma atitude e um comportamento que se espera em um relacionamento mútuo”.

Andar em humildade diante de Deus x andar segundo os conselhos de Acabe: o que deve nortear os nossos passos: a humildade daqueles que andam com Deus ou altivez daqueles que realizam suas obras a partir de seus próprios parâmetros de justiça.

 

"Em Jr 31.35-37 há uma aliança triangular. A Nova Aliança associa o perdão dos pecados à preservação da nação de Israel, a qual, por sua vez, está associada a preservação da criação natural. A criação do mundo foi feita por aliança; a eleição da nação de Israel se deu por aliança; e a salvação eterna de todos os crentes foi estabelecida por aliança. Esses três fatos estão interligados por aliança." - Asher Intrater

 

Em nossos dias, muito se fala em empreendedorismo do reino, mas, infelizmente, boa parte das iniciativas não seguem esta ordem da justiça de Deus. Por consequência, há pouca produtividade de frutos de justiça na terra. Por isso, acreditamos que nossa ação primária neste tempo é voltarmos ao princípio da Aliança, ordenarmos nossa casa, guardarmos o que nos foi dito pelo Senhor, e desenvolvermos iniciativas de justiça sobre a terra a partir do modelo que Ele designou. Pois, tudo o que é construído, realizado ou alcançado fora desta ordem relacional não subsistirá.


Quer saber mais sobre empreendedorismo a partir de uma cosmovisão cristã?

Conheça a Escola Reino & Negócios, clique no banner.

Economia

MOB Collab
Marcelo Souza
Marcelo Souza Seguir

Natural de Curitiba, é casado com Zélia e pai da Júlia. Pastor na Missão Mobilização, Founder da Illumine, Presidente da Acridas, mentor e conselheiro de empresários e líderes nas áreas corporativa, pública e eclesiástica.

Ler conteúdo completo
Indicados para você